Boi gordo: semana fecha com mais uma rodada de altas nos preços da arroba



Conforme previsto pelos analistas que acompanham o setor pecuário, o movimento de alta no mercado boi gordo ganhou mais força no último dia da semana passada, refletindo a grande escassez de animais terminados no País, além do ritmo forte das exportações brasileiras de carne bovina.


A IHS Markit detectou, na última sexta-feira (11/3), valorização nos preços da arroba do boi gordo e da vaca gorda em importantes praças pecuárias, com destaque para os avanços registrados em São Paulo e no Centro-Oeste do País.


Nas praças do interior paulista, o valor macho terminado saltou de R$ 348/@ para R$ 352/@, um avanço diário de R$ 4/@.


Segundo a consultoria, os embarques brasileiros da proteína se mostram bastante aquecidos neste começo de ano, sobretudo à China, e a baixa oferta de animais para abate na área de atuação das unidades exportadoras mantém os preços da arroba em patamares altos.


Neste momento, diz a IHS, as indústrias frigoríficas no Sudeste relatam dificuldades em comprar animais para atender a pujante demanda externa, o que motiva a busca por boiadas em regiões com melhores ofertas.


No interior paulista, informa a IHS, mesmo pagando prêmios superiores a R$ 10/@ sobre o preço base balcão, o cenário de escassez de oferta de boiadas persiste.


Com isso, compradores instalados no Estado de São Paulo estão dispostos a comprar animais terminados até em regiões distantes, como nas praças do Tocantins e Pará, no Norte do País.


Indústrias localizadas em São Paulo e no Triângulo Mineiro também seguem recorrendo ao Centro-Oeste para realizar novas aquisições de boiada, o que acirrou a procura por animais nos Estados da região, resultando em avanço nos preços da arroba.

“Em Goiás, por exemplo, os prêmios para o boi padrão-China (abatido mais jovem, geralmente com idade inferior a 30 meses) gira ao redor de R$ 15/@”, relata a IHS.

Segundo a consultoria, há também relatos de plantas frigoríficas paulistas optando pela compra da carcaça bovina (com osso) em unidades no Centro-Oeste ou Norte do Brasil, com a finalidade de realizar a desossa na estrutura local e, assim, atender os compromissos firmados com os compradores externos.


Segundo dados apurados pela Scot Consultoria, ao longo desta semana, a cotação do boi gordo subiu R$ 4/@ nas praças de São Paulo.


Com isso, arroba do macho terminado destinado ao mercado interno fechou a semana cotada em R$ 342/@ (valor bruto e a prazo).

“O ágio em São Paulo para bovinos com destino à exportação chega a R$ 20/@”, informa a Scot. Nas praças paulistas, acrescenta a Scot, a vaca gorda está valendo R$ 300/@ e a novilha terminada é negociada por R$ 332/@ (preços brutos e a prazo).

No mercado atacadista, os preços dos principais cortes bovinos ficaram estáveis nesta sexta-feira, segundo a IHS Markit.

“O ritmo das vendas de carne bovina no mercado doméstico segue aparentemente consistente, a ponto de garantir firmeza aos valores negociados no atacado”, relata a IHS.

Com uma produção de carne bovina bem equalizada à demanda vigente, as expectativas são de que haja um pequeno espaço para testar ajuste (para cima) nos preços dos cortes.

“O firme fluxo das vendas externas e as altas nos preços das carnes concorrentes, sobretudo do frango, devem favorecer um quadro de suporte ao mercado da carne bovina nesta primeira quinzena de março”, prevê a IHS.

Cotações máximas desta sexta-feira, 11 de março, segundo dados da IHS Markit:


SP-Noroeste:

boi a R$ 352/@ (prazo) vaca a R$ 305/@ (prazo)


MS-Dourados:

boi a R$ 315/@ (à vista) vaca a R$ 290/@ (à vista)


MS-C.Grande:

boi a R$ 317/@ (prazo) vaca a R$ 287/@ (prazo)


MS-Três Lagoas:

boi a R$ 315/@ (prazo) vaca a R$ 285/@ (prazo)


MT-Cáceres:

boi a R$ 312/@ (prazo) vaca a R$ 290/@ (prazo)


MT-Tangará:

boi a R$ 312/@ (prazo) vaca a R$ 291/@ (prazo)


MT-B. Garças:

boi a R$ 310/@ (prazo) vaca a R$ 295/@ (prazo)


MT-Cuiabá:

boi a R$ 310/@ (à vista) vaca a R$ 294/@ (à vista)


MT-Colíder:

boi a R$ 308/@ (à vista) vaca a R$ 290/@ (à vista)


GO-Goiânia:

boi a R$ 315/@ (prazo) vaca R$ 295/@ (prazo)


GO-Sul:

boi a R$ 315/@ (prazo) vaca a R$ 305/@ (prazo)


PR-Maringá:

boi a R$ 310/@ (à vista) vaca a R$ 290/@ (à vista)


MG-Triângulo:

boi a R$ 330/@ (prazo) vaca a R$ 300/@ (prazo)


MG-B.H.:

boi a R$ 307/@ (prazo) vaca a R$ 296/@ (prazo)


BA-F. Santana:

boi a R$ 296/@ (à vista) vaca a R$ 286/@ (à vista)


RS-Porto Alegre:

boi a R$ 330/@ (à vista) vaca a R$ 310/@ (à vista)


RS-Fronteira:

boi a R$ 330/@ (à vista) vaca a R$ 310/@ (à vista)


PA-Marabá:

boi a R$ 288/@ (prazo) vaca a R$ 281/@ (prazo)


PA-Redenção:

boi a R$ 283/@ (prazo) vaca a R$ 278/@ (prazo)


PA-Paragominas:

boi a R$ 296/@ (prazo) vaca a R$ 287/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 295/@ (prazo) vaca a R$ 282/@ (prazo)


TO-Gurupi:

boi a R$ 290/@ (à vista) vaca a R$ 276/@ (à vista)


RO-Cacoal:

boi a R$ 294/@ (à vista) vaca a R$ 280/@ (à vista)


RJ-Campos:

boi a R$ 312/@ (prazo) vaca a R$ 293/@ (prazo)


MA-Açailândia:

boi a R$ 283/@ (à vista) vaca a R$ 264/@ (à vista)


Fonte: Portal DBO - Denis Cardoso

0 comentário